Marcelo Wanderley é produtor cultural e consultor gastronômico. Possui relevante experiência no segmento, com passagens na idealização ou produção de vários eventos gastronômicos, como Congresso Mineiro de Gastronomia, Fuegos Festival e Prazeres da MESA. Atua no apoio às políticas públicas e promocionais do destino turístico gastronômico de Belo Horizonte e do estado de Minas Gerais. É secretário-executivo da Frente da Gastronomia Mineira, ocupa uma cadeira no Plano de Desenvolvimento da Gastronomia de Minas Gerais e é membro do Conselho Curador da Mineiraria – Casa da Gastronomia Mineira.

Marcelo também é um Opsófago. É amigo da comida, é amigo da gente.

Conversamos com ele sobre a Cumbucca – plataforma digital de turismo gastronômico lançada recentemente. Seu novo projeto é pioneiro, moderno e atende à tendência de mercado de crescimento em rede.

Acompanhe a entrevista e venha meter a mão na Cumbucca neste e em outros assuntos ligados à gastronomia!

OPS – COMO SURGIU A IDEIA DE CRIAR UMA PLATAFORMA PARA AGREGAR OS ELOS DA CADEIA GASTRONÔMICA DE MINAS?

MW – Produzo eventos de gastronomia há alguns anos e percebia a necessidade de um espaço para divulgar a gastronomia mineira para além da trinca, queijo, café e cachaça. Claro que esses são itens super importantes, mas a riqueza da cultura alimentar mineira vai muito mais além disso. Como os eventos foram paralisados durante a pandemia, veio a janela de oportunidade para criar essa plataforma. O chef Leo Paixão, que é meu amigo, me deu a ideia do nome, e assim nascia a Cumbucca.

OPS – QUAIS OS OBJETIVOS DA PLATAFORMA E COMO ESTÁ SENDO A SUA RECEPTIVIDADE?

MW – Queremos dar a máxima visibilidade possível não somente à gastronomia, mas também à culinária e cultura alimentar e o turismo. Esses são eixos importantes para avançarmos na divulgação de nossos ingredientes, produtores e estabelecimentos. Mas também ampliamos o conteúdo com listas, roteiros e mapas gastronômicos. A pesquisa intitulada Territórios Gastronômicos, de Eduardo Avelar, complementa essa gama de conteúdo diverso. 

O projeto foi muito bem recebido pelo mercado, surpreendeu, gerando inúmeras oportunidades e abrindo as portas para a formatação de um conteúdo mais robusto e vitalício.

OPS – QUAIS AS DIFICULDADES INICIAIS E COMO VOCÊ ESPERA SUPERÁ-LAS?

MW – Temos o privilégio de morar num estado que tem uma imensidão territorial permeada por uma cultura alimentar bastante rica. Isso quer dizer que o trabalho da Cumbucca será deliciosamente árduo, pois dar conta desse conteúdo todo é uma missão ousada. É um desafio que nos serve de incentivo, pois a partir de agora faremos uma imersão com a metodologia de atender o interior gradualmente.

acervo Cumbucca

OPS – O QUE OS VISITANTES ENCONTRAM NA CUMBUCCA

MW – Nosso conteúdo é bastante amplo e visa abordar toda a cadeia do turismo gastronômico de Minas Gerais. Portanto o usuário encontra na Cumbucca desde mapeamento de produtos, passando por rotas e mapas turísticos, notícias do segmento, festividades e listas de estabelecimentos. Demonstrar pessoas e iniciativas que promovam o diálogo da gastronomia com outros segmentos da indústria criativa também é um pilar importante do nosso trabalho.

OPS – QUE BENEFÍCIOS A PLATAFORMA OFERECE NO SENTIDO DE ATRAIR OS PRODUTORES E OS FORNECEDORES DE SERVIÇOS GASTRONÔMICOS?

MW – Nosso próximo passo é implementar o marketplace, ampliando as possibilidades de atração do produtor e de fornecedores. Na parte turística também constam os serviços de roteiros gastronômicos existentes em Minas. Todo esse conteúdo somado na mesma plataforma resulta em um cardápio informativo bastante robusto.

OPS – COMO VOCÊ VÊ O CENÁRIO ATUAL DO SETOR GASTRONÔMICO MINEIRO? QUAIS OS DESAFIOS E AS OPORTUNIDADES?

MW – A pandemia trouxe dificuldades, crise e desafios, mas também provocou reflexões e mudanças de rota. Isso faz parte do mundo dos negócios, e com a gastronomia não é diferente. Tem sido um ano árduo, passamos por um período com bares e restaurantes fechados, além dos eventos paralisados. Mas é preciso redesenhar planejamentos, e a gastronomia tem esse poder de se reinventar. É importante estar de olhos atentos para abraçar novas oportunidades que estejam em harmonia com o cenário atual.

OPS – VOCÊ DESENVOLVIA OUTROS PROJETOS GASTRONÔMICOS ANTES DA CUMBUCCA. PRETENDE DAR CONTINUIDADE A ELES OU SE DEDICAR EXCLUSIVAMENTE AO NOVO PROJETO?

MW – A Cumbucca é uma multiplataforma de turismo gastronômico. Isso significa que o site é apenas um braço dessa jornada. Minha trajetória é marcada pela realização de importantes eventos de gastronomia, como o Fuegos Festival, Congresso de Gastronomia e Prazeres da MESA, entre outros. Então sigo promovendo essas e outras iniciativas, e agora a chancela Cumbucca chega para agregar ainda mais conteúdo. O cardápio de novidades só começou.

OPS – O QUE VOCÊ DIRIA A UM TURISTA GASTRONÔMICO QUE PRETENDE VISITAR MINAS PELA PRIMEIRA VEZ?

Acesse nossa Cumbucca e mergulhe na imensidão de possibilidades ofertadas pelo turismo gastronômico mineiro. Perceba que Minas tem sim queijos e cafés incríveis, mas nossas cervejas artesanais também são surpreendentes. Nossas cachaças são nacionalmente conhecidas, mas conhecer nossos azeites premiados é programa imperdível. Além de nossos pratos tradicionais, conheça nossa produção contemporânea de uísques e gins. Frequente a capital, com toda sua exuberância e agitação gastronômica, mas não deixe de passear pelas paisagens inesquecíveis do interior. Em Minas a gastronomia harmoniza com cultura, patrimônio, arquitetura e tantas outras áreas criativas. Venha de peito e olhos abertos!

Compartilhar:

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *.